"NENHUM PASSO PARA TRÁS!"

Os protestos vêm tomando conta do Brasil. Confira minha opinião.

A FALTA DA VOZ

A torcida do São Paulo, em meio ao ruim desempenho da equipe, pede a volta de Muriciy.

A SELEÇÃO QUE PRECISAMOS

Saiba a minha opinião a respeito dos 11 titulares da Seleção Brasileira.

ESTRELA DE CAMPEÃO

A defesa de Victor foi a maior prova de que o Atlético está no caminho certo para o título.

A POESIA DE NEYMAR

Neymar se despediu ontem do Santos para assinar contrato com o Barcelona.

31 de mai de 2013

Estrela de campeão


(leia imaginando que um narrador de rádio é quem está proferindo as seguintes frases)

"Quarenta e seis do segundo tempo.

O Galo vai se garantindo na semi-final da Libertadores. O Atlético-Mineiro vai poder, enfim, soltar o grito que está entalado lá dentro. O jogo foi tenso, acirrado, mas a equipe mineira arrancou o empate que já é suficiente para a classificação.

Mas ainda faltam dois minutos. Bola enfiada na área... opa, peraí! O juiz assinala pênalti em cima do jogador do Tijuana! O zagueiro atropelou seu adversário! Não há nem margem para discussão: a falta foi claríssima!! PÊNALTI DECISIVO PARA O TIJUANA!!

A torcida se cala no Estádio Independência... a eliminação está muito, mas muito, próxima! Basta para a equipe mexicana converter o penal que ela se garante nas semi-finais. O desespero toma conta dos 20 mil presentes.

Riascos contra Victor; Victor contra Riascos. O juiz apitou. Partiu para a bola o atacante, chutou... "

O resto da história vocês já sabem.

Parabéns, Atlético, pela bonita hístória que vai se desenhando durante a Libertadores de 2013. O time, assim como o Corinthians em 2012, possui estrela.

Depois do que aconteceu ontem, o título dificilmente sairá de suas mãos. Podem ir se preparando: daqui alguns meses o grito de campeão será ecoado.

26 de mai de 2013

A poesia de Neymar


Foi muito bom enquanto durou.

E, graças a você, Neymar, muita coisa mudou: os dribles tomaram conta do Brasil, como no passado, quando tínhamos Garrincha; a alegria em um time de futebol foi resgatada, como Ronaldinho fizera mais cedo; voltamos, depois de tantas tentativas frustradas, a assistir um grande craque, tal qual foi Pelé, jogando em nosso país.

E mais do que isso, você foi o responsável por muita diversão e muitos sorrisos no rosto de qualquer amante do futebol. No entanto, você foi, ao mesmo tempo, o cara que causou ódio e inveja em tantos outros.

Mas essa inveja não foi por pouca coisa, não. Ela foi gerada porque queriam te ver no seu clube. Como sofriam em suas mãos, tentavam diminuir suas qualidades, raras e invejáveis.

Criticaram, colocaram defeitos - que de fato existiam -, mas, no fundo, só queriam ter você ao lado.

Hoje você saiu. E amanhã, todas essas críticas irão embora. Você será, enfim, reverenciado e aplaudido como sempre mereceu. Dessa vez, não só pela torcida do Santos, mas por todo o Brasil.

Hoje, Neymar, você partirá imaturo. Mas voltará com outra cabeça.

Sairá feliz. Retornará extasiado, cheio de histórias pra contar.

Fará falta. Mas ficaremos feliz por, enfim, poder torcer, declaradamente, pelo seu futebol.

E se por acaso você parar pra pensar nisso, lembre-se: sua decisão foi acertada.

Vá, Neymar! Mas, por favor, volte, como você mesmo escreveu emocionado no espelho do vestiário na Vila Belmiro. Volte, e, dessa vez, melhor do mundo. Lembrando o que escreveu o poeta Carlos Drummond de Andrade, craque das palavras, "vai, Neymar, ser gauche na vida".

22 de mai de 2013

O sério futebol de brincadeira


(texto originalmente publicado no Blog do Torcedor, do GloboEsporte.com. Aqui o link: http://globoesporte.globo.com/sp/torcedor-corinthians/platb/2013/05/22/cartola-fc-1-a-liga-do-blog-e-apresentacao-do-cartoleiro/)

Já é tradição: o Brasileirão tem seu início, as especulações sobre as possíveis transferências aumentam, mas a principal distração vem do Cartola FC.

Para quem não sabe, o fantasy faz com que você se torne o técnico de uma equipe de futebol. Nesse time o administrador tem o direito de comprar jogadores de qualquer outro time pertencentes à Serie A e juntá-los sob a mesma custódia – no caso, a sua. No final de cada rodada, confere-se os pontos obtidos por cada integrante de sua equipe de acordo com o seu desempenho na vida real e esses pontos são somados para que se obtenha um placar final. O jogo vai se desenrolando a cada rodada e seu time pode se valorizar, em caso de bons resultados, ou perder dinheiro, caso as coisas estejam indo de mal a pior.

Então, para quem está pensando em começar ou até mesmo para quem já é experiente, seguem importantes dicas para pegar o jeito da coisa:

- Procure sempre o bom e barato. As vezes esses jogadores podem render muito mais pontos do que os craques renomados – e que, portanto, são caros.

- Sempre escale seu time de acordo com o atual desempenho do atleta na vida real. Se o jogador x está em uma boa fase, não deixe de colocá-lo no seu time!

- Nunca esqueça de verificar contra quem o time de seu jogador está atuando e se é dentro ou fora de casa. Por exemplo: se você quer um atacante que tenha tendência a marcar gols na rodada, escolha um que está jogando como mandante, já que, nesse caso, a equipe com a torcida a favor sempre – ou quase sempre – ataca mais. No caso da escolha de um defensor ou de um goleiro, pense que sua equipe, ao jogar fora de casa, receberá mais perigo e eles serão, portanto, mais exigidos.

-Por fim, escale seu time em todas as rodadas. Se você quer de fato obter uma boa pontuação geral e, por ventura, ganhar prêmios, é necessário não deixar seu time na mão.

No começo pode parecer meio complicado, mas depois você vai pegando o jeito. 

Aproveite o Cartola FC porque ele é de fato muito divertido, mas não deixe de torcer para o seu clube de coração, hein?!

20 de mai de 2013

Justiça seja feita


É muito aliviante saber que ainda existe justiça no futebol. Por mais que a injustiça seja, em muitas vezes, mais frequente no futebol, entender que o mérito existe é algo gratificante.

É bom saber que existem equipes que são derrotadas, eliminadas, mas que não perdem a motivação.

É incrível saber que existe um time que, mesmo eliminado, não perde a elegância e não é desleal.

É impressionante ver uma equipe, com a mesma base por um grande período, conquistar 3 títulos a cada 8 meses, em média.

É esplêndido perceber que existe um elenco no Brasil no qual a união estabelece-se como seu maior trunfo.

É aliviante, é bom, é incrível, é impressionante, é esplêndido saber que quatro dias depois da injusta eliminação, o Corinthians foi campeão paulista.

Parabéns Tite e companhia, pelo extraordinário trabalho nessa equipe que hoje é referência mundial.


16 de mai de 2013

Nunca serão!



O Corinthians cresceu, amadureceu. Hoje é referência em diversos aspectos, tanto dentro quanto fora de campo. Mas nessa infeliz noite, foi eliminado. Mesmo assim, não foi nada capaz de mudar seu desenvolvimento. O Timão está em uma crescente, está mudado.

Já a torcida não. Essa continua a mesmíssima de sempre.

Aos 48 do segundo tempo, o jogo teve seu fim e a torcida viu a eliminação ser concretizada. O que se esperar de uma equipe comum? Barbada: vaias, xingamentos, ameaças, etc...

Agora repense sua pergunta: o que se esperar da torcida do Corinthians?

Isso chega até a ser óbvio... esqueceram que nessa República a coisa é diferente. Os que deviam estar chorando, cantaram. Aqueles que em tese estariam exigindo providências, aplaudiram.

A festa foi igualmente proporcional nas vitórias costumeiras do ano passado e nessa derrota de 2013. Pra quem não sabia o que estava acontecendo no Paulo Machado de Carvalho, era plausível imaginar que a equipe tinha sido campeã.

E, na realidade, a Fiel não fez mais do que justificar seu nome e acompanhou o time. Como sempre ocorreu, eles caíram juntos, foram eliminados, ganharam títulos e, hoje, perderam juntos.


Acontece que essa torcida é fora do normal. É rara, é única, é especial. 

Não gostaria de privar somente alguns leitores do blog, mas isso se torna necessário nessa ocasião: só quem é Corinthians sabe o sentimento de torcer enlouquecidamente por algum time.

Os erros de arbitragem? Apesar de terem influenciado o placar, pouco importam. A festa que o bando de loucos fez ontem é pra fazer com que os rivais repensem suas atitudes como torcedor.

Mas por mais que tentem e até se aproximem dessa fanática torcida, o meu recado é um só: nunca, jamais serão!

13 de mai de 2013

O peso nas costas de Ronaldinho Gaúcho - e ele aguenta


Chegado o momento da convocação para a Copa das Confederações, é necessário refletir.

Já fomos a melhor seleção do mundo - hoje, ocupamos a 19° posição do ranking da FIFA. Não jogamos como jogávamos, não vencemos como vencíamos e, infelizmente, essa é a nossa dura realidade.

Mas a Copa do Mundo está aí. Nesse mesmo mês, daqui um ano, estaremos em fase final para o início da competição. Então, se a seleção está assim nesse momento, assim será em 2014. Não há mais tempo para qualquer tipo de mudança.

Embora sem contar com uma seleção digna do que o Brasil merece, podemos melhorar a situação e brigar pelo título. A começar pela convocação de amanhã, que certamente definirá o futuro de muitos jogadores.

Pense comigo: hoje somos dependentes de Neymar na seleção. É incabível colocar esse tipo de responsabilidade nas costas de um garoto de 21 anos. Uma Copa do Mundo, a menos que você seja o Pelé, não foi criada para ser resolvida por um garoto com tanta imaturidade.

Por isso, é de extrema importância que algum medalhão seja convocado. Mais do que estar na lista, ele tem que estar presente nos 11 titulares.

Esse nome pra mim está muito claro: Ronaldinho Gaúcho.

Se for para colocar a responsabilidade em alguém, que seja nele. Seu futebol na seleção é, sim, hoje, discutível, mas ele é craque de bola. Não existe comparação entre Ronaldinho e o Neymar, o Ganso, Lucas, qualquer um. O R10 é único. Quando de fato joga, transborda futebol.

E se ele ainda não apareceu tanto na seleção, tenho certeza de que esse será o momento. Ele nunca se viu em uma situação onde ele era o principal responsável. Lidará com isso pela primeira vez e não tenho dúvida que corresponderá.

Basta implantar na seleção o modo de jogar no qual ele é referência: a alegria. Com o time contente, jogando com o tesão que esses torneios merecem, será muito difícil nos conter. Nosso diferencial sempre foi esse, então por que parar agora?

Existe um nome capaz de levar o título para a Seleção. Tirem o peso das costas de Neymar e ponham em Ronaldinho Gaúcho. Ele sabe o que faz.


OBS: Contrariando todas as minhas expectativas, o Felipão não chamou o Ronaldinho. Alguns não acharam uma surpresa. Eu achei burrice. Começamos mal.

10 de mai de 2013

Pelo bem do futebol brasileiro


Já vim aqui criticar o São Paulo em alguns posts.

Hoje seria o dia de mais uma crítica, essa a maior de todas.

Mas não.

Dessa vez, prefiro reverenciar e elogiar a equipe do Atlético Mineiro, que está dando show na Libertadores.

Provavelmente tem o futebol mais bonito do Brasil e, sem sombra de duvida, o mais ofensivo. É uma equipe MUITO veloz e extremamente difícil de ser vencida.

É fato que o Corinthians é o campeão mundial, mas os demais rivais estão no momento de tentativa de equiparar o futebol dos mineiros. Hoje em dia, é a equipe a ser batida.

Mas para que tudo se concretize, o Galo tem que ultrapassar o maior dos adversários: ele próprio.

Em primeiro lugar, os atleticanos não podem cair na soberba - o que seria normal depois de uma goleada como o 4 x 1 de quarta-feira passada. Fora isso, ainda têm que vencer a fama de "amarelões".

O primeiro passo já foi dado, e com louvor. Resta saber se haverá continuidade no trabalho e se eles não se perderão no meio do caminho.

Quem sabe, com o exemplo do Atlético, resgatamos o futebol arte na seleção brasileira. Se essa equipe for vencedora de títulos, deixará mais claro que o melhor futebol sempre prevalece.

Portanto, a torcida de qualquer brasileiro - que não o seu clube, obviamente -, deveria ser pelo time comandado por Cuca. Por um futebol mais bonito, mais ofensivo, mais brasileiro, Atlético campeão! E sem medo de ser feliz!

6 de mai de 2013

Novos ares para o São Paulo


Eu sei que vai parecer parcial, vai ter gente que não vai gostar, vai chiar, mas tudo bem. Depois eu assumo as consequências.

Existem dois personagens no mundo do futebol dos quais tenho pouca simpatia. Torço contra sempre, me irritam, e faço questão de que percam. Pode ser maldade, mas não vou ser hipócrita e dizer que não penso dessa maneira.

Os dois são do São Paulo - por isso o motivo de pensarem na parcialidade. Mas sem pudores, vou dizer: são eles o Rogério Ceni e o Luis Fabiano.

Há que se respeitar a trajetória do goleiro no São Paulo. Não é qualquer um que fica tantos anos na equipe, e isso todos têm que admirar. No entanto, me desagrada a forma que ele se porta dentro e fora de campo.

Se tem uma brecha, ele reclama. Faz escândalo e, se erra, não admite a derrota. Pensa ser melhor do que seus companheiros de campo, causa intrigas com o técnico, quer escalar o time. Posso, sim, estar julgando errado, mas, em outras palavras, penso que ele é muito metido.

Seu companheiro Luis Fabiano não fica atrás. Reclama muito, joga sujo, fora o fato de sumir em partidas importantes - mas no contexto em que digo tudo isso, não é muito correto citar esse tópico.

Ontem o primeiro se adiantou na cobrança de pênalti e o segundo perdeu o penal. Não entendi a adiantada muito exagerada do Ceni, mas acontece. Normal.

Mesmo assim, me incomodou muito - novamente -, a ironia dos dois após o final da partida. Ambos saíram para reclamar com o juiz, como de costume, em represália ao seu trabalho. Por que ao invés de xingarem, Ceni não defendeu o pênalti de forma legal e Luis Fabiano não converteu o seu?

Antes de mais nada, está na hora do São Paulo rever seu contrato com o atacante. Ele pouco produz e de importante na história do clube, não tem nada. Se ganhou, não teve nenhuma participação muito importante na trajetória - função para qual ele foi contratado.

Quanto ao Ceni, aposentadoria já seria uma boa. Não pelos motivos citados acima, mas penso que um cargo na diretoria lhe caberia melhor. Se referindo ao time como "vocês" e não como "nós", não é isso que ele tanto quer?

O São Paulo precisa respirar novos ares. Os dois citados acima fazem, sim, parte da história são-paulina. Mas por que não começar outra, de uma forma diferente e com pessoas um pouco mais dignas quanto ao comportamento?

4 de mai de 2013

De futebol e marxismo


Se tem alguma coisa que é capaz de acabar com diferenças sociais, étnicas, discernir ideais políticos e jogá-los no lixo, esse é o esporte.

Mais do que isso, ele é o grande responsável pela felicidade de muita gente. Sem ele, muitos perderiam esperança e até a graça de viver. É legítimo: hoje ele está, como sempre esteve, no cotidiano de todo mundo.

A variedade de modalidades é gigante. Temos esportes com bola, com bola pequena, grande, quase que invisível, temos sem ela, com luvas, etc. Portanto, pra você que é admirador, não há do que reclamar. A qualquer momento do dia, é possível sentar e apreciar o que o esporte fornece.

No entanto, existe uma modalidade que se destaca e é prioridade no mundo inteiro: o futebol. Não adianta discutir, elaborar ideias - mesmo que dignas e com bons argumentos - de que existe esporte mais apaixonante do que o jogado com a bola nos pés.

Duvido alguém me apresentar algum esporte em que o equilíbrio seja tão grande, mas tão grande, a ponto de deixar quase iguais as chances nas disputas entre equipes com supostas grandes diferenças técnicas.

O caso do Palmeiras deixa tudo mais explícito: a equipe, mesmo estando na segunda divisão, tem boas chances de passar de fase na Libertadores. Isso tudo ao mesmo tempo que foi eliminado no Paulistão e passa por uma crise, já que não está na elite do futebol brasileiro.

No entanto, ao pensar na trajetória do Verdão na competição, ninguém ousa afirmar que eles não são capazes de seguir adiante; muito pelo contrário: eles possuem inclusive mais chance que Corinthians e São Paulo, ambos pertencentes à primeira divisão.

E qual é a explicação para tudo isso? Não existe. É o futebol.

É o esporte que possibilita o sucesso repentino e o fracasso logo em seguida. As equipes não têm muito tempo para desfrutar de suas glórias, pois depois já estarão concentrados na próxima partida - que pode também ser decisiva.

Hoje, o Corinthians é campeão mundial. Amanhã pode ser eliminado no Paulistão e na quarta seguinte, da Libertadores.

E que os outros esportes sintam inveja, porque só o futebol proporciona coisas como essa.

Isso tudo é pensado em você, torcedor. É para que o seu time, mesmo em má fase, possa se recuperar - e você, voltar a sorrir.

Parabéns futebol, por estar há mais de 100 anos mobilizando o mundo.

E por que escrevi esse texto? Porque amanhã é aniversário do Karl Marx.

O que isso tem a ver? Nada.

Mas o blog é meu, então vez ou outra escrevo algo que muita gente pode achar bobagem, mas não é - como o futebol.