"NENHUM PASSO PARA TRÁS!"

Os protestos vêm tomando conta do Brasil. Confira minha opinião.

A FALTA DA VOZ

A torcida do São Paulo, em meio ao ruim desempenho da equipe, pede a volta de Muriciy.

A SELEÇÃO QUE PRECISAMOS

Saiba a minha opinião a respeito dos 11 titulares da Seleção Brasileira.

ESTRELA DE CAMPEÃO

A defesa de Victor foi a maior prova de que o Atlético está no caminho certo para o título.

A POESIA DE NEYMAR

Neymar se despediu ontem do Santos para assinar contrato com o Barcelona.

14 de ago de 2012

Em um piscar de olhos



Foram 2 semanas muito intensas.Tentando acompanhar desde badminton até atletismo, tirando uma lasquinha de cada esporte.

Olimpíada é uma algo pra se sentar e apreciar.As emoções vividas pelos atletas, treinadores e torcida é pra deixar qualquer um, mesmo o que não goste de esporte, arrepiado.

Entre esses 4 anos que cercam os Jogos Olímpicos, o Brasil respira apenas futebol.É a cultura do Brasil, o povo do futebol e do samba.A chegada das Olimpíadas muda um pouco o cenário.

Eu, por exemplo, não comentei quase nada de futebol durante as Olimpíadas, priorizando outros esportes, os verdadeiros focos dos Jogos.

Ver atletas como Usain Bolt e Michael Phelps, mesmo que não ao vivo, é um privilégio que qualquer um gostaria de ter.

Mas infelizmente as Olimpíadas são apenas de 4 em 4 anos.Talvez seja bom, porque deixa você em uma angústia para começar e faz com que eles sejam momentos únicos em sua vida.

Fato é que você espera muito por isso, e quando você se dá conta...já acabou!

Foi assim esse ano.Não é a toa que dizem que coisas boas passam rápido.E como passam.Há 2 semanas e 2 dias estava sendo executada a Cerimônia de Abertura.Parece que foi ontem.

E a prova mais nobre do atletismo,quando dura?9 segundos e 62 centésimos.Da natação?47s52.

Como já dito, momentos como esse são únicos e há que se aproveitar ao máximo.Você se concentra nessas  duas semanas para o esporte, porque além de tudo, ele é VIDA.

E como parte de qualquer vida, é preciso se aproveitar cada momento que ele nos proporciona.

Assim como Londres 2012 passou voando, espero que Rio 2016 chegue da mesma forma.

A contagem regressiva já começou...

Faltam 1451 dias!



12 de ago de 2012

Dinastias separadas por 50 anos
















Everton Lopes e Rosely Feitosa chegaram à Londres com pompa de campeões mundiais.Eram, com certeza absoluta, favoritos ao ouro.

Foram eliminados, enquanto Adriana Araújo e os irmãos Esquiva e Yamaguchi Falcão iam avançando.Devagarzinho, e quando se deram conta, já estavam nas quartas de finais.

Faltava portanto uma vitória para cada lutador garantir a sua medalha.A última havia sido conquistada por Servílio de Oliveira, há exatos 44 anos, no México.

Esquiva e Adriana passaram com alguma facilidade e aí veio um dos mais emocionantes momentos das Olimpíadas: Yamaguchi bateu o cubano atual campeão mundial Julio Peraza.Comemorou como se tivesse ganhado ouro - e a vitória valeu essa comemoração.Ele já havia perdido para o cubano e lutou como nunca.


Veio a semi-final.Adriana foi derrotada, mas quem ligou?Após longos anos de espera veio a medalha de um pugilista, e era mulher!Quebrando barreiras, se tornou a primeira brasileira da história a conseguir o feito inédito.

Esquiva e Yamaguchi lutaram no mesmo dia valendo vaga na final.O primeiro dominou completamente a luta e fez história ao se classificar para uma final do boxe.O irmão mais velho, porém, foi derrotado, e garantiu mais uma medalha de bronze para o Brasil.

O finalista se encontrou novamente com Ryoto Murata, algoz do último mundial, quando conquistou o terceiro lugar.Fez uma luta muito parelha, e por uma punição extremamente duvidosa e polêmica acabou derrotado.



Nada que desmerecesse o tal feito dos irmãos.Ambos medalhistas olímpicos, ambos lutando como nunca e recolocando o boxe no seu devido lugar, que antigamente era um dos,se não o, principal esporte do Brasil.

Durante a década de 50 e 60 a família Jofre-Zumbano deu mostras de técnica e perseverança.Eder Jofre foi o primeiro brasileiro campeão mundial, guiado totalmente pela família de sua mãe,Angelina Zumbano.

A união dessas duas famílias deu origem à maior dinastia do esporte brasileiro.Éder possuía 7 tios; desses, 6 eram pugilistas:Higino, Erasmo, Tonico, Ricardo, Ralph e por fim Waldemar Zumbano.

Waldemar, conhecido como "Neno" e "Nê" por familiares era o meu bisavô e fora outros digníssimos feitos, foi o treinador da seleção brasileira nos Jogos de 1960 e 1964.Não conquistou medalha mas marcou história no boxe brasileiro.
Éder Jofre na sala Waldemar Zumbano


Desde pequeno me ensinava alguns golpes; queria que a tradição continuasse.Morreu em 2004 mas deixou um legado para o pugilismo.Legado que seria resgatado apenas cerca de alguns anos depois, quando enfim vieram as medalhas olímpicas.

O boxe perdeu espaço para o MMA, mas a beleza de sua história fica intacta, assim como o feito de Servílio, de Adriana e dos irmãos Falcão.

O pugilismo volta enfim a ter seu nome na mídia e quem sabe pode reconquistar espaço entre os brasileiros- mesmo com Esquiva e Yamaguchi querendo migrar para o Mixed Martial Arts, sonho antigo de seu pai,pugilista e também praticantes de artes marciais, Touro Moreno.

Os inéditos 3 pódios em Londres reinventam o esporte no Brasil.Agora é função da Confederação Brasileira de Boxe se aproveitar da situação, investindo no esporte para como consequência lançar mais revelações em busca de um espaço definitivo, que antigamente já era conduzido pela família Jofre-Zumbano.

Touro Moreno veio de uma família humilde mas jamais deixou de acreditar no boxe, tal como a geração de 1950 fez.As conquistas das famílias são reflexos do trabalho duro - não que os demais não tenham se esforçado - vindo de cada dinastia.

Segundo o pai, ainda há um que pode despontar, que foi campeão brasileiro recentemente.Trata-se do irmão de 16 anos de Esquiva e Yamaguchi.

O mérito dos dois irmãos foi totalmente reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro e Esquiva Falcão será o porta-bandeira do Brasil na Cerimônia de Encerramento.

Nê, lá em cima, deve estar orgulhoso de seus feitos e agora, da família Falcão.Duas gerações separadas por algumas décadas - mas que vieram predestinadas à glória.


(como de costume, fotos exclusivas para o Redonda)

11 de ago de 2012

Exemplo de superação















Sem comparações com o futebol...

As meninas do vôlei deram um show de vontade e determinação em toda a competição.Saíram completamente do fundo do poço, por muito pouco não foram eliminadas porém garantiram o ouro para o Brasil.

Se foi feita muita especulação em torno do futebol, que não é,nunca foi e nunca será o foco das Olímpiadas, o vôlei feminino foi de certa forma sendo abandonado antes e durante a competição.Não vinha como favorita e por muito pouco não foi eliminado durante a primeira fase.

Porém deram a volta por cima.Se re-estabeleceram emocionalmente e como consequência a técnica de Sheilla,Fabiana,Jaqueline,Dani Lins,Thaisa, entre outras, voltou a prevalecer.

Nas quartas de finais fez uma partida memorável, e em um dos maiores jogos da história do vôlei venceu a Rússia, após salvar 6 match points.

Na final mais uma superação: levou um sacode no primeiro set, 25 a 11, porém se recuperou novamente e saiu vitorioso.

Zé Roberto Guimarães consegue portanto sua terceira medalha de ouro em Olimpíadas; a primeira em 1992 e as outras em 2008 e 2012,conquistando o bi-campeonato.Quando saíram de São Paulo rumo a Londres ninguém esperava o ouro.Agora é aplaudir essas meninas...

Um pouco mais cedo o Brasil perdeu para o México e saiu derrotado na final do futebol masculino.Novamente bateu na trave e não conseguiu a sonhada medalha dourada.

Com muito marketing para pouca bola, eles esqueceram o que representa uma união entre o grupo, que foi marca do vôlei após as derrotas que quase culminaram num precoce adeus.

Nervoso, perdeu para si mesmo.Foi uma antítese da relação de amor com o país e com o vôlei por parte das mulheres.

O título das meninas foi 100% merecido.Não havia um final melhor para essa jornada durante os Jogos .Me arrepiei com a vibração durante a partida e a fala de cada jogadora após o título.

Ah, e avisem pros milionários do futebol que final se joga como as meninas do vôlei.

10 de ago de 2012

Lenda do atletismo

Foi destaque do dia de ontem, destaque do atletismo em Londres e como se não bastasse, foi das Olimpíadas inteiras, contando todos os atletas de todas as delegações.

E se tornou uma lenda: manteu o bi-campeonato nos 100m e 200m, as duas provas mais nobres do atletismo.Nem Yohan Blake, nova revelação do atletismo jamaicano, conseguiu impedir Usain Bolt de ganhar sua 5ª medalha de ouro em Jogos Olímpicos.

A soberania de Bolt é mostrada em números; fora o tempo final, de 9s63, o jamaicano correu, como velocidade máxima, cerca de 43 km/h e deu 41 passos.Blake, 46.

Usain é extremamente alto para provas de corrida e compensa a sua péssima largada com um meio e final de prova sensacional.Possui 1,95 de altura e 10 centímetros a mais de passada que seus adversários.

Estudos ainda apontam que sua marca, se não for batida por si próprio, só seria alcançada em 2030.

Bolt superou até mesmo o eterno e lendário Carl Lewis, que havia conquistado o ouro dos 100m e 200m em 1884, Los Angeles, porém não conseguiu manter o ouro nos 200m em 1998, em Seul; nos 100m ele se sagrou novamente campeão da prova.

Em Kingston a festa foi total pela participação dos jamaicanos nos 200m.O pódio ainda foi completado pela revelação já citada Yohan Blake e por Warren Weir, todos nascidos na Jamaica.

Assim como sua velocidade em provas, Usain se tornou uma lenda rapidamente, precisando de apenas 5 provas olímpicas.Com muito bom-humor antes e depois das provas, cativou um espaço no coração de todos os londrinos presentes no Estadio Olímpico, tendo o nome gritado por toda a plateia.


Se em Pequim o principal atleta foi Michael Phelps, em 2012 Usain Bolt precisou de apenas 28 segundos de provas(sem contar os 4x100) para se tornar uma lenda do atletismo e de Olímpiadas.Marcou o nome na história e se os estudos se confirmarem, ficará por um bom tempo por lá...



(novamente fotos totalmente exclusivas para o Redonda)

8 de ago de 2012

Caíram com honra
















Ambos em quartas de finais,ambos jogando bem...porém ambos eliminados.

O Brasil caiu duas vezes em dois dias seguidos; no handebol feminino e no basquete masculino, em situações quase idênticas.

Pelo lado das mulheres, foram derrotadas pela Dinamarca em jogo disputado e emocionante até o fim.Abriram 4 gols de diferença mas por alguns erros,algumas bolas perdidas e uma dose de desconcentração, foram eliminadas.

Precocemente,pelo que haviam jogando e pela motivação que as meninas estavam.Quinto lugar no Mundial do ano passado, elas vieram determinadas em busca de uma medalha, mas saíram de mãos abanando.Nada que desmereça o feito inédito; quartas de finais em Olimpíadas e em um Mundial,disputado em São Paulo.

jogadoras do handebol do Brasil após derrota (Foto: AFP)

Pelo lado dos homens a situação foi um pouco mais decepcionante, tendo em vista que os jogadores vieram cercadíssimos de expectativa.Possuem um técnico de primeira linha, 4 jogadores da NBA, um dos melhores armadores do mundo e um plantel de reservas muito equilibrado.

Fez uma fase de grupos excelente, com 4 vitórias e uma derrota, em uma cesta espírita no final da partida, se classificando portanto em segundo lugar.

Se deu mal no sorteio e por azar teve que enfrentar a Argentina, eterno algoz do basquete nacional.

Foi bem na partida,se igualando em quase todos os números, exceto nos lances livres.Foram 12 erros, o que seria suficiente para vencer a partida.

O basquete brasileiro ressurgiu das cinzas, deu tudo o que tinha na quadra, e como sempre raça e vontade não faltaram.Após 16 anos o basquete voltou a ser motivo de orgulho no país do futebol.

Volto, portanto com o tema de todos os posts.Não é motivo para abaixar a cabeça, afinal eles e as meninas do handebol estão entre as 8 melhores equipes do mundo.

E volto a mais uma coincidência: os dois foram finalmente reconhecidos pela torcida brasileira, que compreendeu o esforço e a dedicação de cada atleta.

Quem sabe não é experiência para a medalha vir em 2016...

6 de ago de 2012

Ginástica enfim brilha



Em Atenas 2004, Daiane dos Santos era a maior esperança de ouro da delegação; a esperança não era à toa, tendo em vista que no ano anterior ela havia sido campeã mundial, em Anaheim, Estados Unidos.

Caiu em seu solo e acabou com a quinta colocação geral, para desapontamento próprio e nacional.

Quatro anos depois ela voltara a uma Olimpíada,em Pequim, dessa vez sem o mesmo favoritismo,que estava pelo lado de Diego Hypólito, campeão mundial um ano antes.Repetiu a brasileira e caiu em seu solo, em uma das maiores decepções da história do Brasil em Olimpíadas.

Neste ano a esperança estava depositada em Jade Barbosa, que coleciona medalhas em várias Copas do Mundo e Mundiais.Não participou dos Jogos,no entanto, por discordar dos termos de uso de uniformes e as marcas dos patrocinadores da seleção do Brasil.Diego e Daiane voltaram a cometer erros esse ano e foram eliminados precocemente.

Nos últimos 10 anos todas as fichas foram jogadas nesses 3 ginastas.E foi no ano passado que Arthur Zanetti despontou como uma revelação:conquistou a medalha de prata no Mundial de Tóquio.

Visto este ano com um olhar diferente por sua medalha prateada,Arthur se preparou bem, tanto tecnicamente quanto psicologicamente para estrear em Olimpíadas.Com uma apresentação impecável, Zanetti conquistou a medalha de OURO para o Brasil,com a nota de 15.900,desbancando também o chinês Chen Yibing,tetracampeão mundial e vencedor em 2008, que anotou 15.800.Diferença mínima,porém suficiente para garantir a dourada.



Passados 8 anos do primeiro fracasso,a ginástica brasileira pôde enfim ouvir o hino nacional executado durante a premiação.

Voltando ao tema do outro post,Arthur a partir daqui passará pela mesma pressão que os 3 foram alvo durante esses últimos anos.Mas isso é papo pra depois, porque agora é comemorar: Arthur Zanetti é medalhista de ouro nas argolas,para orgulho de sua família...

















...e do Brasil inteiro!


(todas as fotos totalmente exclusivas para o Redonda,inclusive a da medalha olímpica)

5 de ago de 2012

Um espelho para 2016

Em apenas um dia um total de 6 medalhas de ouro foram conquistadas pela Grã-Bretanha.

Dessas 6,metade delas em provas de atletismo.

Fruto de uma boa preparação pré-Olimpíadas,Greg Rutherford,que bateu Marcus Vinicius da Silva,o "Duda", Mohamed Farah e Jessica Eniss foram campeões nas provas de salto em distância,10.000m e heptatlo,respectivamente.

Eis então a pergunta:o fato da Olimpíada ser em Londres influencia o resultado dos atletas?Respondo com absoluta certeza que sim.Eles tinham uma pressão maior e com base nisso se prepararam mais para fazer história; o feito de 6 medalhas douradas por atletas britânicos em apenas um dia não acontecia desde 1909.Contavam a cada prova,ainda,com apoio da torcida,que impulsionava seus atletas a vitória.

Se comparado a Pequim 2008 a Grã-Bretanha tem uma melhora impressionante.Com apenas metade dos Jogos completados,o país já acumula 11 medalhas de ouro,contra 19 no total em Pequim.

É impossível,portanto,não parar para refletir no que será 2016,quando os Jogos chegarão ao Rio de Janeiro.O número de medalhas certamente subirá e se levarmos em conta as revelações que neste ano não ganharam medalha por falta de experiência ou por um trabalho psicológico mais efetivo podemos até dobrar a quantidade;desde os meninos do judô,como Rafaela Silva,Mayra Aguiar,Sarah Menezes e Felipe Kitadai(os últimos 3 medalhistas esse ano mas que podem manter ou subir de degrau no pódio) até Sergio Sasaki,Arthur Zanetti(que ainda disputa a final) e Jade Barbosa,todos da ginástica.Ainda podemos acrescentar "Duda",promessa do salto em distância,as novas gerações de esportes coletivos e a natação,com Bruno Fratus e Thiago Pereira, que apesar de experiente conta com fôlego para mais uma Olimpíada.

Sem esquecer também que o Brasil vai ser país-sede e vai ter garantido algumas classificações...quem sabe não brota um novo super talento que vai despontar como medalhista de ouro?

E os medalhões então?Cesar Cielo pode ainda disputar os jogos de 2016,assim como Fabiana Murer,Diego Hipólito(?!) e quem sabe até Maurren Maggi.

Técnica o Brasil tem de sobra,porém ainda peca no fator psicológico.Apesar de ter o impulso de se disputar uma Olimpíada em casa,há a pressão maior justamente por esse fato - o de se disputar no próprio país.

Quanto à organização,os jogos do 2016 são uma incógnita.Ainda não ouvimos falar de nenhuma obra sendo sequer iniciada,tendo em vista que 2 anos antes uma Copa do Mundo vai ocorrer,com a final no Rio de Janeiro.

Acabo me prolongando um pouco no assunto Rio,que ainda tem muito a ser debatido.Penso em coisas extremamente positivas em termo de medalhas,mas ao contrário em termos de organização.


Volto ao tempo presente.A torcida inglesa entrou em delírio hoje ao ver a queridinha do país Jessica Eniss conquistar a sonhada e merecida medalha.Um pouco depois era confirmada a vitória de Greg Rutherford no salto em distância e dali alguns minutos o naturalizado inglês Mohamed Farah cruzava a linha de chegada com domínio sob seus adversários,para fechar o segundo dia de atletismo,abrindo de vez o cadeado.



A senha é uma fórmula simples: 3(atletismo) + 2(remo) + 1 (ciclismo).Aberto o cadeado a Grã-Bretanha continua em busca de mais medalhas,para,quem sabe, abrir e expandir esta senha antiga que contava há 4 anos com 19 dígitos.

O desempenho da Grã-Bretanha então serve de exemplo,mas também de atenção,ao que o Brasil pode vir a fazer em 2016.

4 de ago de 2012

Comemora,Brasil!



O texto para a vitória já estava preparado, com requintes de emoção e felicidade extrema pelo suposto bi-campeonato de Cesar Cielo.Como se não bastasse,previ ainda uma prata para Bruno Fratus.

Infelizmente existem dias em que as coisas não dão certo; de vez em quando você se depara com um dia perfeito de seu adversário,ás vezes em decorrência de problemas pessoais ou simplesmente por uma fração de segundo,uma estratégia traçada errada na hora H.

O nadador brasileiro era,sim,a maior esperança de medalha dourada para o Brasil nestas Olimpíadas.E é lógico que os torcedores e a imprensa iam apontar um fracasso por parte do nadador com o resultado de hoje,enquanto seria reverenciado em caso de vitória.Vinte e um centésimos separaram Cielo da glória para o apontado fracasso.

Mas o criticá-lo é um pecado:Cesar Cielo é o recordista mundial e olímpico da prova e é considerado,no atual momento,o terceiro nadador mais rapido do Universo.Sim,de 7 bilhões de pessoas, ele é o TERCEIRO.

Levando em conta o que ele poderia fazer,é decepcionante?Claro,eu tenho certeza que 10 em cada 10 brasileiros esperavam ansiosos por esse momento e imaginavam uma vitória,que acabou não ocorrendo.Mas é extremamento injusto apontar um fracasso.

O próprio Cielo saiu frustadíssimo com seu resultado e,como vem sendo comum entre os brasileiros,saiu chorando da arena.Um choro legítimo,de tristeza profunda.

Espero,pois,mais choros de alegria durante essas Olimpíadas.

E não é porque exijo mais vitórias.Exijo mais reconhecimento próprio,afinal a participação olímpica já é um feito pra ser comemorado... e uma medalha olímpica em um país que não é uma potência,então?Ou é 8 ou 80?

Comemora Brasil,o recordista mundial da prova e medalhista olímpico nasceu em Santa Barbara do Oeste,aqui no interior de São Paulo!


(sim,o quarto melhor também é brasileiro!Bruno Fratus fez o melhor tempo de sua vida,mostrou grande desenvoltura nas piscinas e fora delas e ainda concedeu ao Redonda uma pequena entrevista,que será postada em breve)

#FORÇABRASIL

2 de ago de 2012

A essência do judô que cativa um espaço mais do que merecido

494395 Mayra aguiar conquista o bronze no judô Medalhas do Brasil nas Olimpíadas de Londres 2012

Mayra Aguiar ajudou hoje o Brasil a expandir seu quadro de medalhas,com o bronze conquistado na categoria até 78 kg e se juntou a Felipe Kitadai com o terceiro lugar nos jogos de Londres; Sarah Menezes conquistou a medalha de ouro no último sábado.

Não só responsável por 3 das 4 medalhas até aqui do Brasil,o judô acumula 18 pódios,sendo então a modalidade mais premiada desde a primeira participação brasileira em 1920.

E como todo esporte,há fracassos.Leandro Guilheiro,esperança máxima de mais um ouro para o Brasil nesta Olimpíada, fracassou,assim como Rafaela Silva,Érika Miranda,Tiago Camilo entre outros...

Talvez falte um trabalho psicológico melhor para os atletas,que já vão para as Olimpíadas sobrecarregados de pressão e em caso de falha há,evidentemente, a cobrança.Caso de Rafaela Silva,vitima de racismo e xingamentos pesados no Twitter.

E pelo visto ela não é de levar desaforos pra casa:rebateu na mesma moeda, devolvendo a "gentileza" a desconhecidos da rede social.Não é,com certeza,a melhor forma de se resolver,mas eu entendo totalmente o lado da judoca.Com a cabeça quente da inesperada derrota ela encontrou lá o seu meio de desabafar.

Porque,injustamente,o judô ainda briga por espaço na mídia e agora,sem sombra de dúvidas,cativou um espaço dentro dos brasileiros.Como já citado rende o maior número de medalhas e é um esporte sensacional,que além de técnica e garra, exige uma gigante concentração do atleta.Fora do eixo,você jamais verá um lutador saindo com um bom resultado.



Assim como em todos os esportes,todos os atletas tem um lado melhor e outro nem tanto.Exemplo de Leandro Guilheiro,que tem como característica agarrar o quimono o tempo inteiro(preferência estudada e barrada pelos seus oponentes) e de Tiago Camilo que prefere um braço esticado para dominar a luta.

A arte marcial portanto ganha uma atenção maior- é claro que sempre teve,dependendo da pessoa,mas não tenha dúvida que o número de glórias conquistadas com esse esporte deu um espaço maior que já era muito mais do que merecido,levando em conta ainda que a delegação brasileira levou 14 judocas para a Inglaterra neste mês.

Amanhã tem mais:Rafael Silva e Maria Suellen lutam logo cedinho,iniciando as 5h30 e tem boas chances,principalmente o peso pesado.A vitória de Maria não seria uma grande surpresa,porém ela pega uma chave mais complicada.

Mas de certeza temos uma só:independente de medalha amanhã o judô vai continuar sendo o esporte com mais medalhas na história do Brasil e também muito provavelmente nesta edição de Londres.

#FORÇABRASIL


**informo que o blog no momento passa por uma reformulação na tentativa de se adequar ao clima olímpico,porque como já dito,a pira se acendeu apenas ontem por aqui...

1 de ago de 2012

Londres 2012



Cinco dias passados de Olimpíadas.Três medalhas para o Brasil;uma de ouro,uma de prata e uma de bronze.

Parei pra pensar que Olimpíada é só de 4 em 4 anos...então se durante a Copa do Mundo de 2010 no mínimo um post por dia aqui era lançado,por que com os jogos de verão seria diferente?

Portanto,com um certo atraso começo a cobertura das Olimpíadas de 2012.Falarei pouco de futebol,o foco deste blog, e me dedicarei mais a outros esportes,afinal o centro das atenções desta vez não é o Neymar e sim Cesar Cielo,Michael Phelps,Usain Bolt,Maurren Maggi,Giba,Nenê,Lebron James,judocas e por aí vai...

O Redonda contará,além de posts diários(pelo menos na tentativa de), fotos e vídeos exclusivos,afinal meu pai,sir. Fabio Altman está presente na edição de Londres 2012.

Acendo então a pira olímpica no Redonda!

Que comecem os Jogos!